Você está aqui: Página Inicial / Sala de Imprensa / Notícias / Priscilla pede ao MP apuração de irregularidade em repasse de verba da saúde

Priscilla pede ao MP apuração de irregularidade em repasse de verba da saúde

por Quézia Alcantara publicado 14/05/2019 08h05, última modificação 14/05/2019 08h05

A vereadora Priscilla Tejota (PSD) protocolou, nesta segunda-feira (13) representação no Ministério Público de Goiás (MP-GO) em desfavor do prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB), e da secretária de Saúde do município, Fátima Mrué, para apurar má gestão da saúde pública da capital.

No documento, Priscilla - presidente da Comissão de Saúde e Assistência Social da Câmara Municipal - pediu a instauração de procedimento para apurar possíveis irregularidades com atrasos nos repasses financeiros federais destinados ao Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Esperança, situado na região Noroeste da capital.

A medida partiu depois que a vereadora realizou visita ao CAPS Esperança e constatou condições estruturais e de atendimento precários que, segundo ela, foram denunciados também por familiares e por usuários da unidade de saúde. “Os acolhidos estão sem condição de alimentar-se de forma digna. Só tinha mandioca, margarina e leite: mantimentos comprados com dinheiro do próprio bolso. E o motivo desse cenário trágico é o fato da secretaria municipal de Saúde não ter efetuado o pagamento dos fornecedores, desde novembro do ano passado, e os mesmos suspenderam a entrega dos alimentos”, relatou Priscilla.

“Será que a prefeitura não tem condições de alimentar dez pessoas [quantidade de pacientes internos no local] de forma digna ou seria apenas insensibilidade ou covardia do prefeito e da secretária de saúde?”, indagou a vereadora.

Antes de entregar a Representação, a vereadora Priscilla Tejota e a vereadora Dra. Cristina (PSDB) se reuniram com a promotora de justiça Karina D’Abruzzo, coordenadora do Centro de Apoio Operacional da Saúde (Cao-Saúde) do MP de Goiás.  Ocasião em que discutiram a falta de médicos pediatras nas unidades de saúde do município e a centralização do atendimento pediátrico no Cais de Campinas. “Nosso objetivo é reunir, com a intermediação do Ministério Público, a sociedade civil, os servidores das unidades de saúde, os conselheiros tutelares, representantes da Secretaria Municipal de Saúde e médicos para que possamos detalhar melhor os problemas, comprovar as denúncias e encontrar uma solução rápida para essa situação”, frisou a vereadora. “ Há dois anos e meio a gente está aguardando a resposta”, completou.(Com informações e foto da assessoria da vereadora).