Estabelecimentos terão de indicar atendimento prioritário a autistas

por Guilherme Machado publicado 14/06/2017 16h55, última modificação 14/06/2017 16h55

Sabrina Garcêz (PMB) apresentou projeto de lei em que obriga os estabelecimentos públicos e privados a ter placas indicando que o atendimento é prioritário para pessoas com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) junto com o Símbolo Mundial de Conscientização do TEA, como o que está na foto desta notícia. 

O TEA é uma condição do desenvolvimento neurológico caracterizado por uma alteração da comunicação social e pela presença de comportamentos repetitivos e estereotipados. O autista pode ter em seu comportamento hiperatividade, agressões, impulsividade, irritabilidade, repetição de palavras e ações. As pessoas com o transtorno podem ser afetadas com diferentes intensidades. Hoje são diagnosticados mais de 150 mil casos de autismo por ano. 

“Muitas vezes não é fácil reconhecer um autista por características comportamentais. Apenas olhando com atenção percebe-se a falta de interesse sobre assuntos que acontecem ou de quais de falam ao redor. Nesses casos, as características físicas são imperceptíveis, podendo ser confundidos com pessoas tímidas”, explica Sabrina.